Problemas da bexiga e do intestino na doença de Parkinson


As pessoas com Parkinson podem ser mais propensas a ter problemas de bexiga ou intestinos do que pessoas de uma idade similar sem a condição. No entanto, nem todos com Parkinson experimentarão estes sintomas.


Problemas da Bexiga

A perda de dopamina e a consequente interrupção dos sinais entre o cérebro e a bexiga podem significar que as mensagens que indicam a bexiga para reter ou expulsar a urina sejam interrompidas.

Os problemas da bexiga associados com Parkinson incluem:

• Incontinência urinária • Dificuldade em esvaziar a bexiga

Os problemas da bexiga podem ocorrer por vários motivos, de modo que a primeira abordagem no diagnóstico será eliminar outras causas além da doença de Parkinson, como infecções urinárias e problemas de próstata nos homens. Se surgirem dificuldades, especialmente em pessoas mais velhas, elas podem ser causadas por fatores totalmente não relacionados à condição, por isso uma avaliação médica completa deve ser realizada com os exames apropriados.

Problemas do Intestino

Alguns problemas, especialmente a redução do movimento intestinal ou a constipação, são particularmente comuns no paciente com Parkinson. Isso tende a ser resultado da lentidão do movimento (bradicinesia), da rigidez muscular e também dos músculos que não podemos ver – incluindo os músculos intestinais – o que, por sua vez, causam uma redução ou lentidão dos movimentos intestinais.

A constipação afeta até 65% das pessoas com Parkinson – os sintomas intestinais podem ser anteriores aos neurológicos. O tremor e o medo de derramar bebidas podem significar que algumas pessoas reduzem involuntariamente a ingestão de líquidos, o que pode fazer com que as fezes fiquem duras e difíceis de serem eliminadas.

O esvaziamento gástrico atrasado (gastroparesia) também é comum no Parkinson, levando a uma variedade de sintomas, como sentir-se cheio rapidamente ao comer, desconforto anormal por inchaço, náuseas, vômitos, perda de peso e desnutrição.

A ansiedade sobre os movimentos intestinais, possivelmente devido ao efeito de certos medicamentos, como levodopa e anticolinérgicos, também pode dificultar o relaxamento do corpo e dos músculos para permitir a passagem de fezes, resultando em constipação. O próprio Parkinson pode prejudicar o relaxamento automático do assoalho pélvico, necessário para endireitar a última parte do intestino e permitir que as fezes passem. Isso ocorre particularmente durante os períodos de “off” quando a medicação não está funcionando bem.

Finalmente, a diarreia pode ocorrer como um efeito colateral de certos medicamentos, que pode ser superado por ajustes no regime da medicação.

O que fazer agora?

Há muitas coisas que você pode fazer para ajudar a superar estes problemas. Algumas são muito simples, como mudanças na estrutura do seu banheiro e mudanças em sua rotina diária de alimentação e atividades físicas.

Além do seu médico, outros profissionais de saúde também podem aconselhar sobre aspectos do tratamento:

• Um nutricionista poderá aconselhar sobre a dieta e a ingestão de líquidos; • Um fisioterapeuta pode ser capaz de ajudar com conselhos e exercícios abdominais; • Um terapeuta pode ajudar com problemas de deglutição. Eles podem recomendar maneiras de relaxar a garganta e dar orientações sobre a postura e os exercícios para ajudar a superar quaisquer dificuldades que você tiver.

Outras opções de tratamento também podem ser adotadas pelos médicos:

• Medicação; • Cirurgia; • Cauterização intermitente.

Volte a ser você

Se você quiser ajuda para encontrar um neurologista especializado na sua região, preencha o nosso formulário para entrarmos em contato com você: http://parkinsoneeu.com/recupere-sua-vida/. E continue aprendendo mais sobre o Parkinson aqui no nosso blog, na nossa página do Facebook e no nosso canal no YouTube.

Fonte: http://www.epda.eu.com/about-parkinson-s/symptoms/non-motor-symptoms/bladder-problems/ http://www.epda.eu.com/about-parkinson-s/symptoms/non-motor-symptoms/bowel-problems/

2 views

Recent Posts

See All