Tudo o que você precisa saber sobre a discinesia


Inicialmente, os tratamentos para o Parkinson podem funcionar muito bem, mas ao longo do tempo podem surgir efeitos colaterais. Se você estiver tomando medicamentos por algum tempo, você pode experimentar “desgaste” ou flutuações motoras. A discinesia faz parte desse grupo de efeitos colaterais, que são geralmente considerados como sintomas, mas são de fato resultados dos medicamentos.


O que é?

A discinesia ocorre em várias condições médicas e é o termo usado para descrever movimentos não intencionais, involuntários e incontroláveis. É a dificuldade ou distorção na realização de movimentos voluntários, resultado do uso prolongado de certos medicamentos.

Como ela se apresenta?

Os movimentos parecem tiques suaves – às vezes como uma dança descoordenada – que incluem contrações, empurrões, torções ou simples inquietação, mas não tremores.

Qual a causa?

A causa exata é incerta, mas a maioria concorda que está relacionada ao uso prolongado de certos medicamentos. Acredita-se que sua origem deva-se a uma maior sensibilidade à dopamina no cérebro como resultado do remédio, combinada com a progressão natural do Parkinson.

Quando a levodopa atinge o seu pico de eficácia e os níveis de dopamina são os mais elevados, pode ocorrer “discinesia em pico”. Por outro lado, e menos comum, a discinesia também pode ocorrer quando a levodopa está apenas começando a produzir efeitos ou quando está se desgastando. Isso é conhecido como “discinesia difásica”.

Existe tratamento?

O tratamento pode ser complicado. Normalmente melhora com uma redução ou redistribuição da terapia com levodopa, mas isso também é tipicamente seguido por um aumento na rigidez ou tremores, por isso dificilmente é uma solução. Uma quantidade reduzida de levodopa também pode resultar em períodos “off” (quando os sintomas não são controlados), que ocorrem mais rapidamente e duram mais.

Portanto, é importante alcançar um bom equilíbrio entre a melhora na mobilidade e a discinesia. Cada pessoa precisará decidir sobre o equilíbrio que eles preferem: ter mais tempo “on” quando a maioria dos sintomas são controlados, mas a discinesia é experimentada, ou mais tempo “off” quando a discinesia é controlada, mas outros sintomas reaparecem.

É possível controlar os movimentos?

Existem algumas mudanças de comportamento que podem ajudar a controlar os efeitos:

  1. Manter um diário: com um diário de sintomas motores, você e seu médico podem avaliar se há alguma ligação entre a sua discinesia e os medicamentos.

  2. Mudanças na dieta: manter uma boa alimentação é importante durante todo o tratamento do Parkinson. No entanto, as recomendações são únicas para cada pessoa, então você deve conversar com seu médico antes de alterar sua dieta ou alterar o tempo de sua medicação. Ele também pode encaminhá-lo para um nutricionista.

Pratique exercícios: os exercícios, como a natação ou a caminhada, pode ajudar. Certos exercícios se mostraram úteis no controle da discinesia, mas isso é muito pessoal, então, se você encontrar algo que o ajude, lembre-se e use-o.

  1. Descanse: tente encontrar a melhor posição para relaxar. Se você tiver discinesia grave em todo o corpo, deitar na cama de um lado e respirar suavemente por alguns minutos pode ajudar. Não lute contra o movimento – é melhor tentar relaxar em uma posição confortável.

  2. Gerencie o estresse: o estresse pode piorar a discinesia, então tente encontrar tempo para relaxar. Terapias alternativas são uma ótima opção para encontrar o equilíbrio necessário. Se você tiver discinesia, fale com o seu médico ou com um especialista de distúrbios do movimento. Eles provavelmente ajustarão sua medicação, às vezes tentando várias combinações, para ver se isso melhore a sua discinesia.

Fontes: http://epda.eu.com/about-parkinson-s/symptoms/motor-symptoms/dyskinesia/ https://www.michaeljfox.org/understanding-parkinsons/living-with-pd/topic.php?dyskinesia

2 views